segunda-feira, 26 de dezembro de 2011

Objetivos de Ano Novo

Para atingir suas metas, é importante você se planejar e evitar estabelecer objetivos irreais. Isso pode causar sintomas psicológicos (ansiedade, angústia, culpa), além de insônia e dor de cabeça. Seja realista: a simples virada de ano não acarretará mudanças mágicas. Pesquisas da International Stress Management Association no Brasil (ISMA-BR), associação que estuda o stress e suas formas de prevenção, indicam que muitas pessoas, por falta de motivação ou de planejamento, terminam se frustrando por não atingirem os objetivos traçados: 30% dos planos são esquecidos em uma semana. Algumas sugestões para aumentar sua chance de sucesso: planeje ações específicas, monitore seu comportamento e aprenda com seus fracassos. Enfim, organize-se para se sentir no controle da sua vida.

quarta-feira, 21 de dezembro de 2011

Stress do Natal

Sem dúvida, este período é especialmente duro para as pessoas que tiveram alguma perda ou não se sentem felizes. Pesquisas da International Stress Management Association no Brasil (ISMA-BR), associação que se dedica à pesquisa e ao tratamento do stress, indicam que o nível de tensão das pessoas aumenta até 75% nesta época do ano, causando sintomas físicos e emocionais.

As celebrações de Natal estão ligadas à família, casa e alegria. De repente pode parecer que todo mundo está feliz, exceto você. Conscientize-se de que as festas natalinas duram apenas uma semana e que nos primeiros dias de janeiro tudo voltará ao normal. Procure a companhia de amigos, vá ao cinema, ao teatro, ocupe-se com algo que lhe dê prazer.

segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

Medo de dirigir

Diversas causas podem originar a amaxofobia (medo de dirigir). Algumas pessoas se sentem inseguras com as mudanças no trânsito e ficam receosas de cometer alguma infração. Isto pode provocar muita ansiedade numa pessoa não apenas pelo valor pecuniário de uma possível multa, mas, se ela for perfeccionista, pela possibilidade de cometer um “erro”. Também o número de carros tem aumentado assim como o nível de agressividade dos motoristas. Estes fatores podem resultar em emoções como medo, ansiedade e raiva às vezes até causando acidentes, lesões e mortes. Alguns notam o coração disparando, as mãos e pés frios e úmidos, os músculos tensos e outros congelam de medo. É necessário que você racionalize os pensamentos que lhe causam a emoção e se equipe emocionalmente para enfrentar a situação.

sexta-feira, 16 de dezembro de 2011

Stress e inveja

A inveja é uma emoção intensa que origina muito stress. O invejoso sente como se o "o mundo estivesse lhe devendo algo". É como se o mundo conspirasse contra ele. No trabalho, por exemplo, se um colega ganhar uma promoção, o invejoso passa a ter uma raiva velada. Como consequência, podem acontecer pequenas sabotagens para minar o trabalho do outro e erros de dados com a intenção de prejudicar. Racionalizar a situação e canalizar no que se tem são maneiras de sair deste ciclo de sentimentos negativos. Como fazer isso? Tentando separar a realidade da fantasia dos fatos, neutralizar as emoções, conversar sobre a questão com um amigo e praticar técnicas de relaxamento que possibilitem que a pessoa se sinta em controle das suas emoções.

quarta-feira, 14 de dezembro de 2011

Dor de cabeça

A dor de cabeça tensional pode provocar desconforto quase constante ou a sensação de compressão nos músculos faciais. Frequentemente, isto ocorre quando a pessoa mantém os músculos do rosto, do pescoço e dos ombros tensionados. O stress do dia a dia, como frustrações, filas, demandas da família, etc., pode manter os músculos em estado de alerta. Outras causas podem incluir má postura, bruxismo e ranger de dentes. Muitas pessoas se automedicam ou tomam analgésicos prescritos pelo médico, mas não mudam o comportamento causador da tensão muscular. Também o uso continuado de analgésicos pode causar outros problemas além de fazer com que a necessidade de consumo seja gradualmente maior.
Os exercícios físicos (caminhada, natação, alongamento) são ótimas opções para aliviar as tensões. É importante que você pratique algum tipo de relaxamento (respiração profunda, contração/relaxamento dos músculos, meditação, yoga) para reeducar seus músculos.

segunda-feira, 12 de dezembro de 2011

Negativismo


O negativismo afeta a saúde além de interferir no desempenho físico e profissional da pessoa. Uma pesquisa realizada na Universidade da Pennsylvania testou 120 homens que haviam sofrido ataque cardíaco. Após oito anos, verificou-se que 80% dos pessimistas morreram de um segundo ataque cardíaco, comparado com 33% dos otimistas. Para mudar sua tendência pessimista, avalie a situação e reestruture seus pensamentos irracionais de uma forma positiva ou neutra. O objetivo é que os pensamentos positivos eventualmente substituam os negativos. Escolha lentes mais coloridas para interpretar a realidade, evitando a autocrítica.

sexta-feira, 9 de dezembro de 2011

Stress e Doenças

Um nível de stress excessivo pode causar inúmeras doenças porque ele suprime o sistema de imunidade. Estudos científicos têm consistentemente demonstrado que as pessoas quando estressadas tendem a pegar gripes e infecções respiratórias com muito mais frequência. Outra reação ao stress são as erupções de pele causadas por vírus como verrugas ou herpes. Outros problemas como acnes, aftas também podem ser exacerbados, além de sintomas como tontura e fadiga.

Recentes pesquisas do médico inglês Kenneth Heaton sobre as peças de Shakespeare indicam que o dramaturgo já relacionava sintomas físicos às emoções. No entanto, muitos médicos ainda relutam em relacionar sintomas físicos a perturbações emocionais.

Para saber mais leia a reportagem “As lições de Shakespeare sobre a mente” da revista Isto É: http://www.istoe.com.br/reportagens/181312_AS+LICOES+DE+SHAKESPEARE+SOBRE+A+MENTE

quarta-feira, 7 de dezembro de 2011

O Stress da mulher

As mulheres vivem na mesma sociedade habitada pelos homens. Elas também ficam trancadas no trânsito, tomam decisões importantes no trabalho e têm conflitos. Sob os efeitos do stress, elas perdem o interesse pelo sexo, vida social e profissional da mesma forma que os homens. Os homens e as mulheres foram criados iguais, mas certamente não são idênticos, em particular quando se trata de stress. Uma das grandes diferenças é o acúmulo de funções que é a causa número um do stress feminino, agravado pela dificuldade que muitas mulheres têm em delegar tarefas.

Para manter sua qualidade de vida é imprescindível que as mulheres estabeleçam prioridades visando a seu crescimento individual incluindo exercício físico regular, alimentação saudável, períodos de relaxamento e lazer para ficar de pernas para o ar sem culpas ou desculpas.

Para saber mais acesse a reportagem com participação da ISMA-BR na revista Valor Liderança do Jornal Valor Econômico: http://www.revistavalor.com.br/home.aspx?pub=58&edicao=2. Obs.: No sumário clique no link saúde.

segunda-feira, 5 de dezembro de 2011

Stress no trabalho

O nível de stress dos profissionais continua aumentando, afetando a saúde e a qualidade de vida das pessoas. Isto ocorre devido à longa jornada e sobrecarga de trabalho, pressões e demandas, falta de recursos materiais e financeiros, insegurança, entre outras causas. Alguns sintomas físicos incluem dores musculares, cansaço e problemas gastrintestinais. Sintomas psicológicos incluem ansiedade, angústia e preocupação. O excesso de stress afeta a produtividade e a qualidade do trabalho, aumentando a margem de erros e a falta de concentração. A pessoa produz menos, mas se sente mais cansada. Ela adoece com mais frequencia causando prejuízo para si própria e para a empresa.
 
Assista a entrevista com a Dra. Ana Maria Rossi, presidente da ISMA-BR, no Jornal da Globo News sobre stress no trabalho: http://g1.globo.com/videos/globo-news/jornal-globo-news/t/edicao-das-10h/v/ana-maria-rossi-fala-sobre-a-sindrome-da-pressa/1719640/

sexta-feira, 2 de dezembro de 2011

Stress pós-traumático

Mesmo crimes não violentos podem causar sequelas duradouras. As reações do stress pós-traumático são conhecidas por desencadearem comportamentos e emoções, conscientes ou inconscientes, relacionadas à lembrança do evento e imediatamente após sua ocorrência. Essas reações são associadas a fatores psicológicos que frequentemente causam adaptações biológicas, comportamentais, mentais e neurológicas. Muitas vítimas da violência bloqueiam emocionalmente a situação porque se sentem sem controle e humilhadas. O tratamento do stress pós-traumático é bastante complexo. Muitas vezes os sintomas persistem por meses e podem até se tornar crônicos. Frequentemente é aconselhável o uso de medicamento durante a fase mais crítica.

quarta-feira, 30 de novembro de 2011

Compulsão de comer

Na nossa sociedade, a comida tem uma conotação altamente social e emocional. Em geral, nos reunimos com pessoas para comer ou beber. Também compensamos nossas frustações de maneira similar. A constatação "tive um dia estressante" normalmente é uma permissão para a pessoa indulgenciar em gulodices. Para quebrar este vínculo de gratificação oral, em primeiro lugar identifique porque quer comer (fome, condicionamento ao horário das refeições ou fatores emocionais). Se a causa for emocional, pergunte-se "como isto que eu quero comer vai me ajudar a lidar melhor com meu problema"? Dependendo da resposta, talvez queira dar atenção à emoção de outra forma. Planeje passar alguns momentos ao ar livre, caminhando ou respirando fundo, ou simplesmente se concentrando em relaxar a mente e destensionando os músculos do corpo. Muitos profissionais canalizam na comida seu ponto de escape. No entanto, comer não é uma solução para a angústia, a solidão ou ansiedade, mas um paliativo que logo poderá trazer-lhe novos problemas: o dos quilinhos extras.
Leia a reportagem com participação da ISMA-BR no Jornal Folha de S. Paulo: http://www.ismabrasil.com.br/img/folha.jpg


segunda-feira, 28 de novembro de 2011

Stress e ponto de equilíbrio

A palavra stress é derivada do latim. Ela significa “adversidade ou aflição”. Em 1910, os primeiros estudos sobre o tema relacionaram o stress com uma reação do organismo a situações que envolvem a ativação do sistema nervoso e hormonal. O Dr. Hans Selye, pioneiro nos estudos nessa área, constatou que sob constante pressão, os mecanismos de adaptação entram em colapso. Em 1996, o psicólogo Richard Lazarus sugeriu que o stress influía nas áreas fisiológica, psicológica e sociológica. Selye revelou que algumas perturbações psiquiátricas, doenças cardiovasculares e bronquiais, diabetes, tuberculose, enxaquecas podem ser induzidas pelo excesso de pressões e demandas. Além disso constatou que o stress pode afetar o sistema de imunidade tornando a pessoa mais suscetível a doenças infecciosas, virais e até mesmo ao câncer.
 
Para saber mais sobre como lidar com as tensões e manter o equilíbrio, leia reportagem com participação da ISMA-BR no jornal O Globo: http://oglobo.globo.com/saude/teste-voce-esta-estressado-3325124
             

sexta-feira, 25 de novembro de 2011

Você se sente infeliz no trabalho?

Escolher uma profissão, se dedicar a ela, nunca se acomodar. E ao mesmo tempo lidar com todas as outras áreas da vida extra corporativas. Uma rotina puxada, que não precisa ser sacrificante. Mas e quando acordar todos os dias já não instiga mais? Sinal de algo errado. E, geralmente, essa falta de motivação está ligada ao trabalho e à execução das suas tarefas.
 
Uma pesquisa realizada pela ISMA-BR constatou que 76% dos profissionais estão insatisfeitos com sua vida profissional. Entre as principais queixas estão a cobrança excessiva, os conflitos com os chefes e a sobrecarga de trabalho. As mulheres representam o maior número de pessoas infelizes no campo corporativo, somando 49% do total dos entrevistados. Isso acontece, pois a mulher se exige o cumprimento de diversas atividades simultaneamente. Além de profissionais, querem ser mãe, esposa, amiga, estar em forma. Há uma sobrecarga de funções.
 
Se você deseja evitar esse quadro ou reverter uma situação que já existe, siga algumas dicas:
 
- Trabalhe para manter sua autoestima sempre elevada, reforçando suas metas e reconhecendo suas vitórias e qualidades;
- Busque prazer em todas as atividades que desenvolve, das mais simples às complexas;
- Evite ser individualista. Reconheça a qualidade alheia e peça ajuda sempre que necessário;
- Busque alternativas para se adaptar ao seu local de trabalho, mas não se omita. Converse, exponha suas ideias e opiniões. E fora da empresa procure desenvolver atividades relaxantes. Aos poucos você se sentirá mais leve e mais feliz para encarar o dia a dia.

quarta-feira, 23 de novembro de 2011

Depressão e atividade física

A atividade física regular pode afetar o astral da pessoa, diminuindo o nível de stress e gerando energia. Para que possa se beneficiar, é necessário que se exercite um mínimo de 45 minutos três vezes por semana. Isso ajudará a canalizar sua energia de forma mais positiva.Escolha sua atividade preferida: natação, corrida, caminhada, patinação ou exercícios em grupo (vôlei, basquete ou futebol.). A depressão é uma doença que reduz o nível de energia e concentração, causa perda de memória, alterações no sono e no apetite e desregula o ritmo biológico. Por sentirem falta de energia, as pessoas deprimidas tendem a não fazer exercício físico, agravando ou perpetuando a situação. A família e os amigos podem dar apoio emocional, incentivando-as a manter uma atividade regular.

segunda-feira, 21 de novembro de 2011

Qual é a medida do seu stress?

Mais de 700 participantes verificaram o nível de stress na 10ª edição do Dia Nacional de Conscientização do Stress, realizado dia 20 de novembro de 2011, em Porto Alegre. O objetivo foi conscientizar a população sobre a importância da prevenção, do diagnóstico, do tratamento e do desenvolvimento de técnicas eficazes para gerenciar o stress.

A iniciativa da ISMA-BR tem servido de modelo para inúmeras ações que são desenvolvidas em diversas cidades brasileiras.

quinta-feira, 17 de novembro de 2011

Dia Nacional de Conscientização do Stress

20 de novembro de 2011, das 11 às 15h, na Redenção, em Porto Alegre

Qual é a medida do seu stress? Você sabe o seu peso, a sua altura, o número do seu sapato, o tamanho da sua roupa, mas raramente tem a oportunidade de medir suas reações físicas e emocionais. Pois você pode fazer isso.

Desde 2001, a ISMA-BR (International Stress Management Association no Brasil) promove o Dia Nacional de Conscientização do Stress, no 3º domingo de novembro. A comemoração, gratuita e aberta ao público, conta com a presença de especialistas na área da saúde que medem o nível de stress dos participantes e a sua suscetibilidade a doenças. Através de parcerias com instituições preocupadas com a qualidade de vida da população, monitoram-se as condições de saúde dos interessados.

A iniciativa da ISMA-BR tem servido de modelo para inúmeras ações que são desenvolvidas em diversas cidades brasileiras. O objetivo é conscientizar a comunidade sobre a importância da prevenção, do diagnóstico, do tratamento e do desenvolvimento de técnicas eficazes para gerenciar o stress através de informações e orientações ao público e oferecendo testes para medir o nível de stress, problema que afeta 70% da população brasileira. Confira a programação: http://www.ismabrasil.com.br/noticia/dia-de-conscientizacao-do-stress

segunda-feira, 14 de novembro de 2011

Pressões no trabalho

O stress é uma questão internacional que tem causado crescente preocupação. Infelizmente, os milhares de estudos que têm sido feitos sobre o assunto não têm tido sucesso em diminuir o nível de stress que afeta 70% dos brasileiros, segundo pesquisa da ISMA-BR (International Stress Management Association no Brasil). É claro que o custo mais dramático é a perda da saúde da pessoa, além de causar altos custos para as empresas com presenteísmo, absenteísmo e adoecimento.

É importante que as organizações desenvolvam programas preventivos para evitar problemas cardíacos, pressão arterial alta, gastrite, insônia, depressão, ansiedade entre tantos outros sintomas. Os funcionários estão continuamente se adaptando às pressões profissionais, por isso é indispensável que cada um tenha pelo menos uma técnica eficiente para manter seu equilíbrio físico e mental.

Para saber sobre estratégias que alguns executivos usam para lidar com o stress profissional, leia reportagem com a participação da ISMA-BR na revista Isto É Dinheiro: http://www.istoedinheiro.com.br/noticias/72670_PRESTES+A+EXPLODIR

sexta-feira, 11 de novembro de 2011

Pais e filhos

Décadas passam, gerações se sucedem, o mundo se moderniza. Mas existe algo que permanece latente: a dificuldade de relacionamento que assombra alguns pais e filhos.

Inúmeras são as problemáticas que afetam algumas famílias. Pais conservadores, que não entendem o jeito despojado de levar a vida do filho. Filhos conservadores, que não aceitam que os pais se adaptem à realidade dos novos tempos. Pode ser a escolha da profissão, do namorado, dos amigos, o modo de se vestir, de falar, de pensar. O fato, seja qual for, gera situações de stress, pois normalmente um sempre tenta fazer com que o outro aceite o seu ponto de vista.


Não importa quantos sejam ou a intensidade que atinjam, os conflitos não devem interferir no amor mútuo, no querer bem, na vontade de ver o outro feliz. Por esse motivo é muito importante o cultivo da harmonia, evitando guardar rancores, que só distanciam e magoam ainda mais os envolvidos.

O fundamental para manter ou resgatar o bom relacionamento é sempre o diálogo, a conversa transparente. Expor suas ideias calmamente e de forma direta, abrir seu coração para ouvir e ter empatia com o outro lado. Dessa forma o consenso será mais facilmente alcançado. Não tema falar, não tema ouvir, não tema entender.

terça-feira, 8 de novembro de 2011

O stress e a fome

Você já observou que quando está muito nervoso, angustiado ou ansioso, seu apetite sofre alterações? Quantas vezes você esqueceu de comer por estar desenvolvendo uma tarefa, ou se flagrou devorando uma barra inteira de chocolate sem motivo aparente? Toda essa reação alimentar pode ser reflexo do stress que vem sofrendo em sua rotina.

Uma pesquisa realizada em 2010 pela ISMA-BR , com mil profissionais, apontou que 21% deles apresentavam compulsão alimentar em momentos de stress e 11% nessas mesmas condições reduziam a quantidade de comida.

Seja para mais ou para menos, descontar as frustrações e ansiedades na comida é um perigo para a saúde. Quem reage com a perda de apetite, pulando as principais refeições, pode ter sequelas físicas e emocionais.

Além da perda significativa de peso e fraqueza, a diminuição dos alimentos pode resultar em hipoglicemia, que é a baixa taxa de glicose no sangue.

Já a alimentação excessiva, com alimentos gordurosos, com alto teor de sódio e doces com açúcar refinado causam ganho de peso, cansaço físico, aumento significante das taxas de colesterol.

Identifique essas mudanças em sua rotina alimentar e as reações que seu corpo tem manifestado nos últimos tempos. Se achar necessário, procure a ajuda de um profissional. Pratique alguma técnica de relaxamento que lhe ajude a relaxar e planeje uma dieta equilibrada. O importante é não deixar que o stress da rotina profissional prejudique sua saúde e qualidade de vida.

terça-feira, 1 de novembro de 2011

O poder de uma pausa

Uma folga ou um dia de descanso é uma boa oportunidade de renovar as energias para dar continuidade à rotina. Um exemplo dessas pausas são os feriados durante a semana. Um único dia, mas que pode fazer toda a diferença na disposição física e mental.

Mas, com apenas um dia, ficamos muitas vezes confusos em relação às atividades que realmente merecem nossa atenção. Aproveitar o dia para adiantar o trabalho da empresa ou da escola, fazer aquela faxina no guarda-roupa, exercitar-se ou simplesmente se dar ao direito de não fazer absolutamente nada?
 
A questão nesse caso é analisar as situações e ver o que realmente trará benefícios. Por exemplo, não adianta optar em ficar o dia todo assistindo a filmes, ao invés de estudar para uma prova, se isso o deixará tenso e ansioso. Sem perceber, nem o corpo, nem a mente aproveitarão o dia de folga, pois os músculos ficarão tensos uma vez que a preocupação em relação à atividade não desenvolvida será significativamente alta.
 
Então programe sua pausa priorizando aquilo que realmente vai fazer a diferença no seu bem-estar. Valorize sua qualidade de vida, mesmo que isso signifique desenvolver alguma atividade de trabalho. E, lembre da pergunta: qual é o melhor uso do meu tempo agora? Seu corpo descansa, quando sua mente relaxa.

sexta-feira, 28 de outubro de 2011

Você tem pressa por quê?

Semáforo fechado, trânsito, elevador, filas quilométricas, esperas. Algumas dessas situações lhe incomodam? Você sente seus braços e pernas trêmulas, o coração acelerado, garganta seca, dor de cabeça ou aquele frio no estômago? Se você respondeu sim para alguns desses itens, cuidado, você pode estar sofrendo da síndrome da pressa.

Uma pesquisa realizada pela ISMA-BR, em São Paulo e em Porto Alegre, constatou que 36% dos entrevistados sofrem da doença da pressa. Essa pressa frequente e injustificada acaba causando problemas físicos e mentais.

Algumas dicas podem lhe auxiliar a desacelerar no dia a dia:
·   Identifique sua tendência de estar sempre apressado
·   Planeje comportamentos alternativos para substituir a pressa. Por exemplo, evite acelerar no sinal amarelo, para não ter que esperar
·   Evite interrupções quando faz algo importante
·   Concentre parte da sua energia para obter prazer pessoal
·   Evite olhar o relógio com frequência
·   Respire. Inspire pelo nariz, solte o ar pela boca e contraia os músculos do abdômen.

Se sentir que a situação saiu do controle, procure um especialista.
O importante é reconhecer como as suas atitudes diárias influenciam o seu bem-estar e qualidade de vida. E considere que mais cedo ou mais tarde, com uma hora a mais ou a menos, tudo acaba por resolvido.

terça-feira, 25 de outubro de 2011

Seja feliz no trabalho

Chega segunda-feira, o início de mais uma semana de trabalho. Como você se sente? Ansioso, pois possui muitas tarefas e realizá-las lhe proporciona uma sensação de dever cumprido e felicidade? Ou está triste e se arrasta até o local de trabalho rezando para que chegue logo a tão esperada sexta-feira?
 
Uma pesquisa feita pela International Stress Management Association no Brasil (ISMA-BR) aponta que apenas 24% dos brasileiros se sentem realizados com sua vida profissional. E essa porcentagem de insatisfeitos é ainda maior entre as mulheres. Segundo a pesquisa da ISMA-BR, isso acontece dada às diferentes atividades extraprofissionais que as mulheres desenvolvem. “As principais queixas são a carga horária elevada, cobrança excessiva, competição exagerada e pouco reconhecimento”, explica a autora da pesquisa, Ana Maria Rossi, presidente da Isma-BR.
 
Mas é possível sim ser feliz na atividade profissional que você exerce. Atitudes otimistas e o cultivo da autoestima elevada são fatores que auxiliam na manutenção da satisfação no trabalho. Além disso, manter o foco, com objetivos específicos e clareza de onde se deseja chegar, e flexibilidade, conscientizando-se que sempre existe a possibilidade de replanejar o caminho e os próprios objetivos, são ferramentas fundamentais para o contentamento e a alegria referente ao desempenho corporativo.
 
Exercite o reconhecimento próprio, identificando suas qualidades, habilidades e capacidades, tenha orgulho das tarefas que realiza e dos resultados que alcança. E o mais importante, não hesite em mudar, se assim achar necessário. O que não vale é levar uma vida infeliz.
 

sexta-feira, 21 de outubro de 2011

Cuidado com a passividade exagerada

Estudos americanos indicam que as pessoas que engavetam suas emoções e continuam convivendo com a fonte de seu stress têm mais probabilidade de morrer prematuramente do que as pessoas explosivas. O comportamento agressivo se caracteriza pela hostilidade e imposição. Em geral, ele mascara sentimentos de insegurança. O comportamento passivo é radicalmente diferente. A pessoa se comporta como se fosse um capacho. Ela não verbaliza suas opiniões, internalizando suas ansiedades e angústias. Às vezes até perde sua identidade pessoal para sentir-se aceita e amada. Geralmente, julga as prioridades dos outros mais importantes do que as suas e com frequência suas automensagens são negativas. Esse é o tipo de comportamento que a coloca em grande risco. Aceite o que não pode mudar e modifique o que tem controle para lidar com as frustrações do dia a dia.

terça-feira, 18 de outubro de 2011

Saúde em primeiro lugar

A busca de soluções para problemas de saúde originados num contexto desfavorável implica atitude crítica e criatividade na convivência social dentro de um processo participativo no exercício dos direitos constitucionais. O conhecimento sobre os determinantes da saúde, mudanças no estilo de vida e o atendimento das necessidades humanas básicas, mediante o cumprimento das políticas sociais, contribuem para a resolução dos problemas da saúde pública e, consequentemente, para a melhoria da qualidade de vida.

Mas o bem-estar das pessoas parece estar condicionado ao trabalho, como um direito social que assegura a sua sobrevivência pela remuneração. A população também deve exercer o controle social em sua legítima defesa, na qualidade de consumidora, bem como planejar o tamanho de sua família dentro de suas possibilidades. São estratégias que ajudam a trilhar o caminho em busca de mais qualidade de vida.

sexta-feira, 14 de outubro de 2011

O desafio de ser professor

Orientar, prover conhecimento, formar cidadãos, essas entre outras tarefas, são atribuídas à missão de um professor. Presentes em toda a jornada do ser humano, da infância até a vida adulta, do pré-escolar ao pós-doutorado. Lá estão eles, carregando sempre uma carga de responsabilidade pelo resultado final, ou seja, quem será essa pessoa, esse profissional após o contato com minhas experiências e conhecimentos?
 
Escolher ser professor, orientador, mestre é optar pelo próximo, em fazer o bem, em compartilhar conhecimentos, e exige dom, dedicação, vocação. Mas o que se pode observar é que exercer essa profissão fundamental tem se tornado cada vez mais difícil, desgastante e estressante.
 
Inúmeros são as problemáticas que dificultam a didática escolar: falta de infraestrutura da instituição, onde muitas vezes os profissionais precisam improvisar para conseguir transmitir o conteúdo de aula; desinteresse de grande parte da nova geração, que por algum motivo, não se conscientiza da importância do estudo e conhecimento; falta de reconhecimento. E podemos citar também a violência. Quantos professores dão aula com medo, receosos de sofrerem atentados contra a vida?
 
Essas situações geram desmotivação contínua, desesperança, angústias, stress. O que automaticamente se reflete na qualidade dos serviços que desenvolvem em seus ambientes de trabalho.
 
Hoje ser professor é um desafio diário e mesmo com tantas dificuldades é preciso ter consciência do quão importante cada um é para a construção e desenvolvimento da sociedade. Alfabetizar sim, mas, além disso, moldar cidadãos. Por isso, renove suas esperanças. Respire fundo, procure atividades paralelas para relaxar, ferramentas que ajudem a equilibrar essa rotina tão puxada.
Mas desistir jamais!



terça-feira, 11 de outubro de 2011

Excesso de tarefas ou desorganização?

As atividades aumentaram e também a diversidade de papéis principalmente das mulheres. As pessoas são constantemente pressionadas a estarem atualizadas, saudáveis, conectadas, entre outras coisas. Com isso, atividades inimagináveis algum tempo atrás, como checar redes sociais, responder e-mails, navegar na internet, apesar de oferecerem oportunidades, consomem tempo. O excesso de tarefas e a corrida frequente contra o tempo têm requerido mais planejamento. No entanto, infelizmente, por se sentirem sobrecarregadas poucas pessoas agendam tempo para se organizarem e isso respinga nos momentos que poderiam ser de lazer.
 
Dicas:
Crie uma agenda pessoal e priorize atividades
Acorde cedo e organize o dia
Reserve uma parte do final de um dia na semana para antecipar ao menos uma atividade do final de semana como fazer mercado, farmácia ou comprar um presente 
Delegue tarefas para outros membros da família

sexta-feira, 7 de outubro de 2011

Stress e doenças reumáticas

Uma pessoa tensa tem mais propensão a desenvolver um alto padrão de contração muscular agravando o problema. Alguns estudos americanos indicam que quando a pessoa se sente pressionada, ela tende a manter os músculos tensos por períodos prolongados. Eventualmente, este comportamento produz fadiga muscular, causando os músculos a ficarem mais doloridos, o que agrava a inflamação. Pode-se tomar algumas precauções para diminuir o nível de tensão muscular. Por exemplo, conscientização: se você tende a dar suspiros profundos, possivelmente mantém seus músculos muito ativos. Esta reação é característica das pessoas que têm o pescoço e o peito tensos, restringindo a respiração. É importante que mude sua atitude em relação aos eventos que lhe causam adaptação, questionando seus motivos e prioridades e que use alguma técnica de relaxamento muscular.

terça-feira, 4 de outubro de 2011

Críticas

Certamente o excesso de críticas causa frustração e inviabiliza os relacionamentos. É importante você se conscientizar da sua tendência para que possa mudar. Primeiro, procure identificar seus pensamentos críticos. Por exemplo, se o seu companheiro a interrompe quando fala, observe a emoção negativa, respire fundo e imediatamente pense em algo que gosta nessa pessoa. Deixe que os seus sentimentos positivos neutralizem as críticas. Se você tem uma crítica construtiva a fazer, faça-a sem se concentrar no que está errado. Sua sensibilidade à imperfeição pode desgastar diversos aspectos da sua vida. Freando o seu hábito de denegrir as pessoas a sua volta, você poderá cultivar amizades, permitindo que se desenvolvam de forma saudável.

sexta-feira, 30 de setembro de 2011

Parabéns!

Fazer aniversário significa muito além da comemoração de mais um ano de vida. É a renovação dos sonhos e projetos, é a releitura dos erros e vitórias, a reorganização da alma. A alegria de se olhar no espelho e reconhecer um pedacinho a mais como sendo realmente você. Aquele quebra-cabeça, sabe? Com mais uma peça em seu lugar. A cada ano vivido, nos tornamos mais completos e plenos.

Quando chegar o grande momento de apagar as velinhas, lembre-se do entusiasmo que sentiu aos 5, 6, 7 anos, quando pediu aquele carrinho conversível ou a boneca princesa. Feche os olhos e mentalize seu desejo com a mesma intensidade e inocência daquela época... as festas de aniversário eram mágicas. Deixe se contagiar por essa magia e desfrute de cada segundo, cada companhia, receba cada beijo, abraço, carinho!

Comemore cada linha de expressão, cada degrau conquistado. Lembre-se, mas sempre com alegria e agradeça. A vida é nosso maior bem!

quinta-feira, 29 de setembro de 2011

Ócio criativo

Estamos frequentemente sendo solicitados a produzir, a criar. Seja uma nova maneira de cortar gastos, uma campanha para motivar os funcionários, uma maneira de surpreender a pessoa amada. O fato é que de uma forma ou de outra, pessoal ou profissionalmente, novas ideias precisam surgir a todo momento.

Mas diante de tantas informações disponibilizadas pelos meios de comunicação, internet, sugestões alheias, fica difícil conseguirmos desenvolver algo que realmente valha a pena e seja eficaz para o fim ao qual será destinado.

Muitas vezes, a pressão e a obrigação de ter uma solução, aqui e agora, pode minar o desenvolvimento da percepção e criatividade. O que fazer?

Você já ouviu falar no ócio criativo? É aquele momento que você reserva para fazer absolutamente nada ou um tempo só para você. Sim, pode ser uma caminhada pelo parque, a hora de tomar banho, ou até mesmo no trânsito. São momentos em que você consegue estar sozinho, ouvir seus pensamentos, organizar suas ideias e criar.

Faça o teste. Pare, pense, repense, sozinho, pautado apenas por suas memórias e lembranças. Esse exercício pode ser feito sempre que quiser e você vai verificar que cada vez os resultados serão melhores.